Pular para o conteúdo principal
x
PIRATARIA: Furada à vista!

Pirataria é furada à vista: descubra agora o risco que você corre ao comprar eletrônicos falsificados

A pirataria de produtos de áudio e vídeo tem ganhado o mercado e a casa de muitos brasileiros, mas o que poucos sabem é o quanto esse tipo de aparelho pode colocar a sua saúde em risco. Também conhecidas como “réplicas”, as mercadorias piratas são facilmente encontradas em qualquer loja que não tenha vínculo oficial com os fabricantes, principalmente quando o assunto é áudio e vídeo. O grave disso é que essa facilidade de aquisição pode lesar a audição, a visão e até o bolso do consumidor.

O que mais chama atenção é o preço, pois um produto pirata custa até 8x menos do que um autêntico. O seu design pode até simular o original, mas o baixo custo garante a ausência de acessórios, selos, especificações compatíveis e falha na qualidade de imagem e som.

Para não correr o risco de ser enganado, vale dar uma conferida no site oficial do fabricante do produto que você quer adquirir. Muitos até oferecem dicas para identificar seus produtos originais e também disponibilizam ajuda em seu serviço de atendimento ao consumidor, como é o caso da marca Beats.

Além de lucro, os fabricantes priorizam não causar dano à saúde do consumidor. São anos de investimento em pesquisa para criarem seus produtos, tudo feito dentro de padrões seguros para consumo.

Em 2016, o smartphone Galaxy Note 7 da Samsung foi exemplo de como um fabricante prioriza a saúde consumidor. Uma falha na montagem de algumas baterias causava autocombustão, a empresa então fez o recall de todos os aparelhos e prestou auxílio a todos os clientes que tinham adquirido o produto.

No caso de um equipamento pirata, que não passa por nenhum teste de segurança, não há quem se responsabilize pelo dano ao consumidor.

 

Como escolher aparelhos de som de acordo com a saúde da sua audição

Para quem gosta de música o risco é maior, pois a falta de qualidade de um produto pode trazer danos irreparáveis para a audição.

Quem não quer dor de cabeça pode ouvir em até 80 decibéis (dB) e não ter nenhum prejuízo auditivo. De acordo com a lista abaixo, a partir de 85 dB há um limite de tempo para que a audição não seja prejudicada, e ignorá-lo pode provocar aquele zumbido irritante, um indicativo de que houve dano.

85 dB – Música na metade do volume máximo dos seus aparelhos, até 8h de exposição;
90 dB – Motor de ônibus, feira, locais com muitas pessoas, até 4h de exposição;
95 dB – Latido de cachorro pequeno, secador, conversa de bar sem som, até 2h de exposição;
100 dB – Liquidificador, choro de bebê, batedeira, cortador de grama simples, até 1h de exposição;
105 dB – Obra dentro de casa, caminhão, latido de cachorro grande, até 30 minutos de exposição;
110 dB – Carro de som, descarga de moto alterada, recreio escolar, até 15 minutos de exposição;
115 dB – Congestionamento intenso, estrondo de rojão, caixa de som em festa, até 7 minutos;


Acima destes níveis qualquer som pode lhe causar desconforto instantâneo nos ouvidos.

Você pode utilizar seu aparelho de telefone para medir o valor aproximado dos decibéis dos seus aparelhos.

Para usuários de Android, o aplicativo Decibelímetro é uma boa opção gratuita.

No iOS, você encontrará gratuitamente na App Store o aplicativo Medidor de Decibéis  

 

A pirataria dos reprodutores de vídeo e os riscos para sua visão 

Para quem procura uma boa experiência visual, na hora de comprar aparelhos de exibição de imagem sempre bate aquela dúvida entre TV, projetor e qual dos modelos disponíveis.

É ideal ter em mente que a TV é para o cotidiano, então qualquer uma que ofereça qualidade por um bom preço será a sua melhor escolha. Já para projetores a coisa muda, porque são eles que transformam uma simples exibição em uma quase experiência de realidade aumentada, e por isso são os mais indicados para esgotar a bilheteria do seu Home Cinema.

Quando falamos em qualidade de imagem logo pensamos em resolução, pixel e tamanho de tela. Juntas, essas três características fornecem o atributo que o consumidor procura em uma exibição, porém isso pode falhar se ela ocorrer em um aparelho incompatível com o que se busca.

No quesito da saúde ocular, não há dados científicos que comprovem algum tipo de lesão nos olhos de quem não preza por essa qualidade. Mesmo assim, investir em um aparelho falsificado pode custar os olhos da cara.

A baixa qualidade provoca cansaço visual recorrente, seguido por uma dor de cabeça que pode até ser somada a outros problemas de saúde.

Os olhos humanos ajustam a íris com precisão para visualizar as imagens de acordo com iluminação e distância. É essa regulagem que permite diminuir o cansaço visual e suas consequências. Em aparelhos piratas não há estabilidade na iluminação, seus pixels variam de intensidade diminuindo a resolução do que está sendo exibido e assim provocam de forma mais rápida a dor de cabeça. Eles também exigem que seus olhos tentem constantemente se adequar à sua baixa qualidade, causando aquela sensação de dor similar à que é provocada pela sensibilidade visual de uma enxaqueca.

A sua busca pelo excepcional não pode virar uma experiência de dor e dano. Os aparelhos de áudio e vídeo High End oferecem o melhor da qualidade em seu alto padrão tecnológico. 

 

Gostou desse conteúdo e quer receber novas publicações por e-mail ?
Cadastre-se abaixo para receber NOTÍCIAS, NOVIDADES
e PROMOÇÕES CINEMASHOW em seu email.

 

CADASTRO NOVIDADES

Cadastre-se aqui para receber NOTÍCIAS, NOVIDADES e PROMOÇÕES CINEMASHOW em seu email: